sábado, 11 de setembro de 2010

A história de Joseph Pilates


Joseph Pilates nasceu em 1880 na Alemanha e possuía uma saúde frágil na infância e adolescência, sofria de asma, raquitismo e febre reumática. Como tantos outros pioneiros (Mathias Alexander e Ida Rolf, por exemplo), tentou superar seus próprios problemas de saúde através de exercícios físicos. Estudou Yoga, Zen, Técnicas Gregas e se transformou em um atleta de ginástica, mergulho, boxe entre outras modalidades. (Borges, 2005).
Foi um respeitado esportista: Ginasta, esquiador, boxeador, mergulhador e artista de circo, onde relacionou todo o enfoque oriental de respiração com seu futuro método, onde o expirar reproduzia como no conceito das lutas marciais, maior estabilidade da parte central do corpo, propiciando assim movimentos mais livres e precisos dos membros inferiores e superiores.
Em 1912, Pilates mudou-se para Inglaterra, onde ganhava a vida como lutador de boxe , artista de circo e treinador de auto-defesa de detetives ingleses. Quando a Primeira Guerra Mundial começou dois anos mais tarde ele foi considerado um “estrangeiro inimigo” e foi colocado em um campo em Lancaster com os outros alemães, e mais tarde foi transferido para ilha de Man. Pilates tornou-se enfermeiro e treinou outros estrangeiros no campo com exercícios de cultura física que havia criado. Sua técnica foi reconhecida quando nenhum dos internos daquele campo sucumbiu a uma epidemia de gripe que matou milhares de pessoas em outros campos da Inglaterra em 1918.
Após a guerra, Pilates continuou com os programas de treinamento de condicionamento físico em Hamburgo, Alemanha, onde aperfeiçoou seus métodos trabalhando com a força policial da cidade. Em 1926, desiludido com o trabalho com o exército Alemão, Pilates emigrou para os Estados Unidos. No navio para América, Pilates encontrou sua futura esposa, Clara. Quando chegou, o casal fundou um estúdio na cidade de Nova Iorque que funciona até hoje. Joseph e sua esposa supervisionaram pessoalmente seus clientes naquele estúdio até a década de 60.
Pilates e seu método, que ele denominou “contrologia”, logo adquiriram seguidores entre os membros da comunidade da dança. Dançarinos famosos como Martha Graham e George Balanchine tornaram-se devotos do método e mandavam seus próprios alunos para treinar com Joseph. Mais tarde, atleta e artistas estudaram pelo seu método.
Pilates praticava o que pregava, e viveu uma vida longa e saudável. Ele morreu em 1967, aos 87 anos. Hoje, seus métodos e exercícios são utilizados em todo o mundo por companhias de dança, times de atletas profissionais, clientes de spas e entusiastas da cultura física em clubes e academias. Os exercícios vêm se tornando cada vez mais populares entre o público em geral.

Nenhum comentário:

Postar um comentário